18.10.13

“Natércia se revelando uma selvagem, levei ela prum aniversário e ela avançou no bolo, estragando tudo, resultado: nunca mais foi convidada. Bate em todas as crianças do bloco, desconhecendo sexo, idade ou religião. Uma verdadeira Ângela Rô Rô. Tá quase andando, mas já dança e, pra revolta do Augusto, ela só quer ouvir Refavela, dança o disco todinho, um barato.”

 (Trecho de uma carta da minha mãe, para uma amiga.)

Sabá sanguinolento sabá  \m/

Mirá vos! Alguns contos do meu projeto com o amigo Márcio Távora traduzidos para a revista chilena Bifurcaciones.

Depoimento e vídeo ectoplasmáticos para Ana C.