8.3.12

vinteenove de fevereiro deste ano 
ontem na livraria cultura de fortaleza, no debate do livro Viva Fortaleza queria ter esclarecido melhor o que sinto sobre a cidade não apoiar a produção artística dos habitantes. sobre o quanto é difícil a compreensão e o respeito por quem TRABALHA - e duro - com artes plásticas, música, literatura, cinema e teatro. sobre como temos de deixar a cidade para que nossos projetos existam e para que ganhemos dinheiro e reconhecimento por eles. um rapaz na plateia questionou por que não resistimos e permanecemos em fortaleza em prol de uma atitude política. essa pergunta me confunde. e a ideia de resistência é bastante bonita. mas a resposta talvez seja feia. talvez porque quem desistiu de trabalhar aqui tenha sua vida, seu projeto e não tenha mais fé nesta terra seca - mesmo tão amada. a amargura fica ali à espreita. simples e triste assim.